terça-feira, 21 de Outubro de 2003

Semiótica

Estou no Museu dos Transportes, entre aulas. Dei uma primeira aula de semiótica a 68 alunos e a mensagem essencial, ou seja, a resposta à pergunta - O que é a semiótica ? - parece que foi bem compreendida. Recorri, entre outros, ao exemplo da vida de uma personagem, desde que se levanta até que se deita, para demonstrar que todos os actos do quotidiano são actos semióticos. Em todos eles se processam modalidades de significação que não existiriam se o ser humano tivesse capacidade telepática. É por isso que o filme da mente se ajusta permanentemente a formas e expressões do dia a dia de modo a fazer-se entender, ou tão-só a entender aquilo que o rodeia, em função de regras que as comunidades, milenar e recentemente, arbitrária ou quase que naturalmente, estatuíram.
Seja como for, nas primeiras aulas, o que conta é a disposição e a empatia no olhar. E esse, na sua multiplicidade e excesso de presença, frutificou.