domingo, 19 de Outubro de 2003

A noite

Subitamente chove, chove. A palmeira esmagada pela água e as luzes amareladas do outro lado da mata a tentarem submergir na teia densa da noite. O olhar do outro lado da espera torna-se agora na verdadeira aparição. O mistério é não poder sequer pensá-lo. E é isto a noite.